Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Plus Size com saúde


 Olá meus amores, vamos falar de saúde hoje porque é lindo ver pessoas bonitas, mas é maravilhoso ver pessoas saudáveis, inclusive as Plus, li essa reportagem e achei super importante compartilhar com vocês e claro fazer algumas observações nela... Ótima Leitura


Paradoxo da obesidade. Esse é um termo pomposo para designar um fenômeno que as experiências individuais nos obrigam a reconhecer todos os dias. A aparente contradição é citada sempre que algum estudo comprova que quilos a mais nem sempre fazem mal à saúde. Um estudo importante demonstrou que ser ativo é mais importante que ser magro. Os pesquisadores analisaram dados de 43 mil americanos. Eles foram divididos em grupos conforme o nível de obesidade e os resultados em testes de colesterol, pressão arterial e condicionamento físico.
Depois de 14 anos, o risco de morte por qualquer causa foi 38% mais baixo no grupo dos obesos considerados saudáveis – aqueles que praticavam atividades físicas e estavam com os exames em ordem. A redução dos óbitos por câncer ou problemas cardiovasculares foi de 30% a 50%. A condição de saúde dos gordinhos ativos foi semelhante à verificada no grupo dos magros saudáveis, segundo o estudo publicado no European Heart Journal. É isso mesmo: a atividade física é poderosa a ponto de reduzir o impacto dos efeitos prejudiciais da gordura. Os exercícios ajudam na dilatação dos vasos sanguíneos e melhoram a resistência à insulina.
Infelizmente uma leitura superficial, baseada apenas na aparência física, é a mesma que leva algumas empresas a descartar candidatos obesos por achar que eles necessariamente têm baixa autoestima, provocam mais despesas médicas e faltam muito ao trabalho, uma generalização preconceituosa, uma pessoa considerada obesa pode ter aquele perfil metabólico mais comum entre os magros, sem hipertensão, diabetes, nem colesterol alto.
Mas então um plus size pode ser saudável? Sim. Qualquer tipo de atividade física favorece, claro que associada a uma alimentação balanceada, não estamos falando de sacrifícios como 1 colher de sopa de arroz e meia de feijão, mas comer a quantidade que sacia a fome do corpo e não a vontade do cérebro, e quanto a atividade física nada de exageros também, um dos maiores erros na indicação da atividade física é quer extrair de quem não tem o hábito a habilidade de um atleta profissional.

Se proponha limites possíveis, comece caminhando 15 min numa semana, 30 na outra e assim até alcançar um limite ousado mas possível, o importante é estar em movimento e ativar o sangue para circular normalmente.Uma pessoa pode ser gorda, mas ter genes que não favorecem a elevação dos níveis de colesterol e triglicérides, desequilíbrios frequentemente associados a problemas graves como infarto, derrame e morte. Por outro lado, um magro pode ter os genes que fazem esses níveis aumentar muito.
Essas observações cotidianas e os estudos recentes – cada vez mais prolongados e sofisticados – demonstram que, em obesidade, as coisas são bem mais complexas do que imaginamos.
Ninguém deve achar que a obesidade não tem consequências. O problema de ser gordinho é que, com o passar dos anos, o ganho de peso tende a fugir do controle. A obesidade mórbida, essa sim, reduz dramaticamente a qualidade e o tempo de vida. Isso é um fato e um alerta. Por outro lado, é importante lembrar que aparência física tem pouco a revelar sobre as reais condições de saúde de uma pessoa. Ficar esbelto é uma consequência da atividade física. Mas os benefícios e o prazer que ela pode proporcionar vão muito além do corpinho sarado.


Baseado no texto orginal da Revista Época

Um beijo da Gil e nunca se esqueça... Deus ama você!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu recado, estarei lendo e responderei em breve...